A QUASE HIPNOSE DE VASARELY

Victor Vasarely

Com suas obras cheias de cores e formas geométricas, Victor Vasarely é considerado o pai da Op Art, arte que captura os olhos de um jeito inescapável

Por Ana Elisa Meyer

Na década de 1960, uma nova forma de arte surgia e tornava-se muito popular no Hemisfério Norte: a optical art ou op art, como é mais conhecida. A sua principal característica é o uso de figuras geométricas variadas, de cores puras, e em repetição exaustiva, passando a sensação de movimento que resulta em um efeito ilusório para quem vê. Esse novo caminho da arte, nada convencional, teve o artista húngaro Victor Vasarely (1908 – 1997) como um de seus principais expoentes.

Com suas obras que fazem uma síntese entre a arte concreta e o construtivismo, Vasarely é considerado um dos fundadores da arte cinética. Nascido na cidade de Pécs, estudou medicina na Universidade de Budapeste, mas sua forte atracão pela arte o fez abandonar o curso. Foi se aprimorar na pintura tradicional na Academia Podolini-Volkmann, e, em 1928, se transferiu para a Academia de Mühely, conhecida como a Bauhaus de Budapeste. Dois anos depois, mudou-se para Paris, casou-se e trabalhou como designer gráfico e consultor de criação em diversas empresas de publicidade. Seu fascínio por padrões lineares o levou a desenhar diversos motivos: linhas bicolores, pretas e brancas, e deformações ondulantes, em que a sensação de profundidade e as diversas dimensões dos objetos eram uma meta constante.

Anterior Próximo

Após a Segunda Guerra Mundial, sua vida financeira começou a melhorar e ele pôde abrir seu primeiro ateliê em Arcueil, subúrbio próximo do centro de Paris, onde desenvolveu sobreposições baseadas em suas heranças geométricas que provavelmente remontam a sua época de design gráfico. No entanto, é nas décadas de 1950-1960 que sua obra em preto e branco marca definitivamente seu trabalho, introduzindo a ideia de movimento, prescindindo da realidade, criando uma nova relação entre o artista e o espectador. Em 1976, criou a Fundação Vasarely, em Aix- en-Provence, na França, e, em 1981, inaugurou o Museu Vasarely, em Pécs, na Hungria, sua cidade natal.