Em evento “tech”, Febraban fala grosso contra fintechs

Isaac Sidney || Crédito: Gustavo Lima/STJ

Sintoma de de que "sentiu", Isaac Sidney, presidente do sindicato patronal dos bancões diz que players "que surgiram do nada nos acusam em tom de demérito"

Isaac Sidney, presidente do sindicato patronal dos bancos, a Febraban, falou grosso contra o que muito provavelmente são as fintechs. Na abertura do evento Febraban Tech 2023, Sidney mandou:

“Players digitais que surgiram do nada se intitulando modernos, mais baratos e inovadores, se referem a nós em um tom de demérito e não raramente acusatório. Mas nós bancos não nascemos agora e não atuamos fazendo marketing e publicidade. Temos muito orgulho de sermos o que sempre fomos, tradicionalmente inovadores.”

“Não estamos apenas no 0800 e nos links e apps dos players digitais. Somos versáteis e plurais: presentes para quem precisa de amparo e virtuais para quem pode e quer.”

É difícil imaginar um discurso de tal natureza se não houvesse um incômodo com a concorrência ou mesmo uma crise de imagem. No primeiro trimestre de 2023, os quatro maiores bancos do Brasil tiveram queda no seu lucro líquido de 5,6%. Mesmo assim faturaram, juntos, R$ 23,4 bilhões.

R$ 23,4 bi.