Mesmo desejoso do diesel de Putin, Bolsonaro ouve de Zelensky pedido para se juntar às “sanções contra agressor”

Bolsonaro e Volodymyr Zelensky || Créditos: Alan Santos/PR/Gabinete de Imprensa do Presidente Ucraniano

Presidente da Ucrânia revela ter dito a homólogo brasileiro, nesta segunda (18), querer retomada de comércio de grãos e união contra a Rússia

Homem que viajou a Moscou dias antes de a Rússia invadir a Ucrânia sugerindo que, por conta de sua conversa com Vladimir Putin, talvez tivesse êxito em conter a guerra, Jair Bolsonaro conversou nesta segunda (18) com seu homólogo ucraniano Vladimir Zelensky.

Parte do que foi discutido foi publicado por Zelensky em sua conta no Twitter. “Tive uma conversa com o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro. Informei-o da situação do front. Discutiu-se a importância de retomar a exportação de grãos para prevenir a crise global de alimentos provocada pela Rússia. Conclamo todos os parceiros para se juntar às sanções contra o agressor”, escreveu o ucraniano.

O presidente brasileiro ainda não deu sua versão da conversa, mas quanto à última parte do dito por Zelensky, melhor esperar sentado: Bolsonaro e seu ministro da Energia, Adolfo Sachsida, aquele que lamenta ser objeto de preconceito intelectual por estar do lado do bolsonarismo, vêm dizendo que comprarão “todo o óleo diesel que [o Brasil] puder” da Rússia.

Mas a frase é bonita: “Conclamo todos os parceiros para se juntar às sanções contra o agressor”.