Ciro “mãos de Internet” se multiplica na rede para defender, atacar, curtir, comentar e compartilhar

Ciro e Paulo Sérgio Nogueira de Oliveira || Crédito: José Cruz/Agência Brasil/ Igor Soares / MD

Presidenciável do PDT, usuário contumaz do Twitter, produz longo “fio” para explicar perseguição política de órgãos oficiais, celebra São João e, rápido no mouse, responde a Kibe Loco

As agruras do ex-governador cearense Ciro Gomes não se circunscrevem aos resultados das pesquisas eleitorais que insistem em mantê-lo alijado da disputa principal, num imóvel e distante terceiro lugar. Nos últimos sete meses, o candidato a presidente pelo PDT também foi alvo de duas ações que soam, cheiram, têm forma e sabor de represália política.

A primeira, uma operação da Polícia Federal com direito a busca&apreensão, policial na porta de casa etc. terminou com o Tribunal Regional Federal da 5ª região anulando a busca; a segunda, bem mais recente, veio nesta quinta (23), com notícia-crime apresentada pelo ministro da Defesa e os comandantes das Forças sob seu guarda-chuva, em resposta a uma entrevista em que Ciro disse que na Amazônia “estabeleceu-se essa holding que é o narcotráfico claramente protegido por autoridades brasileiras, claramente protegido por autoridades, inclusive das Forças Armadas.”

Ciro se referia aos assassinatos de Dom Phillips e Bruno Pereira e, em sua conta no Twitter, repeliu o movimento do ministro da Defesa, Paulo Sérgio Oliveira, e os comandantes militares. Eis o tuíte 9, o mais contundente dos 12 do “fio” com que dá seu “parecer” sobre o evento.

“Não me surpreende que a iniciativa desta ação política contra mim – e contra a minha pré-candidatura – parta de um Ministro da Defesa que, possivelmente obedecendo ordens de seu comandante supremo, vem se notabilizando por tentativas de interferência no processo político.”

Logo em seguida ele cita as manifestações da Defesa que colocam em dúvida a higidez – adoramos este termo – do processo eleitoral brasileiro.

Ciro tem uma equipe dedicada, mas deve ele também passar algumas horas por dia na Internet. Ainda na quinta (23) deu pronta resposta ao humorista Antonio Tebet, o Kibe Loco, que prometeu voto para quem revogar os múltiplos processos de sigilo de 100 anos com que o governo federal e órgãos alinhados blindam os agentes que cometem malfeitos – o último diz respeito ao Caso Genivaldo, o assassinato por asfixia numa viatura da Polícia Rodoviária, em Sergipe.

Disse Ciro: “Tabet, estará no elenco de minhas primeiras medidas.”