Maior evento de segurança internacional da América Latina debate ameaças transnacionais como guerras e ciberataques

Crédito: Paulo Mumia/Alex Ferro

Conferência do Forte de Copacabana reúne representantes de governos, da academia e da iniciativa privada para discutir soluções conjuntas para segurança e defesa de países

A pandemia de Covid-19 seguida pela invasão russa na Ucrânia em fevereiro deste ano deflagraram a urgência de uma maior mobilização da comunidade internacional em prol do multilateralismo e do enfrentamento conjunto para questões de segurança e defesa.

Em raras ocasiões da história recente foi tão necessário tratar da segurança global. É diante dessa conjuntura que a XIX Conferência de Segurança Internacional do Forte de Copacabana, o maior fórum sobre segurança internacional da América Latina, realiza sua primeira edição presencial pós-pandemia nos dias 30 de junho e 1 de julho. Como é de praxe no evento, que há 18 anos faz parte do calendário político regional, especialistas europeus e latino-americanos irão trazer suas perspectivas, reforçando os diálogos entre seus países e continentes. O evento é uma iniciativa da Fundação Konrad Adenauer, do Centro Brasileiro de Relações Internacionais (Cebri) e da Delegação da União Europeia no Brasil.

Os convidados estarão divididos em painéis, que vão explorar diferentes perspectivas do tema do ano: “Ameaças sem fronteiras: somos capazes de lidar com os desafios?”. Na abertura, às 9h do dia 30, irão discursar o parlamentar alemão da CDU/CSU, Roderich Kiesewetter; o presidente do Instituto Soberania e Clima e ex-ministro da Defesa do Brasil, Raul Jungmann; e o diretor executivo para a PCSD e Resposta a Crises do Serviço Europeu de Ação Externa (SEAE), Pawel Herczynski. A mediação será feita pela jornalista Leila Sterenberg, da GloboNews.

Logo em seguida, o painel “Mudanças climáticas e crise energética: os novos campos de batalha revisitados” irá discutir o principal impacto das crises energéticas e climáticas na área de segurança internacional e possíveis ações mitigadoras. No dia 1, o painel “Meios de subsistência básica em jogo: segurança hídrica e alimentar” irá discutir como garantir a segurança hídrica e alimentar dos povos e minimizar conflitos e migrações não controladas. Na sequência, o painel “Covid-19: um por todos e todos por um? Combatendo ameaças decorrentes da pandemia” traz uma reflexão acerca dos principais impactos negativos da pandemia e das estratégias para combater suas ameaças. O último painel, “Mudando o jogo: respostas cibernéticas a situações de crise”, discute como combater ataques cibernéticos e aplicar protocolos e recomendações políticas a países e organizações internacionais. O evento terá tradução simultânea em português, espanhol, inglês, alemão e Língua Brasileira de Sinais (Libras). As inscrições são individuais e podem ser feitas gratuitamente pelo link https://kas.avscvirtual.com.br/

Fundação Konrad Adenauer

A Fundação Konrad Adenauer (KAS) é uma fundação política alemã, independente e sem fins lucrativos. Atua com base nos valores da União Democrata-Cristã (CDU), partido político alemão. Promove a Democracia, o Estado de Direito, os Direitos Humanos, as relações internacionais e a Educação Política, bem como a Economia Social de Mercado e o desenvolvimento descentralizado e sustentável. No Brasil desde 1969, a KAS reúne lideranças atuais e futuras da política e da sociedade, bem como formadores de opinião no universo acadêmico. Atua sempre com parceiros locais e incentiva o diálogo sobre os principais desafios do País.

Centro Brasileiro de Relações Internacionais

O Centro Brasileiro de Relações Internacionais (CEBRI) é o think tank de referência em relações internacionais do Brasil: independente, apartidário e multidisciplinar, é pautado pela excelência, ética e transparência na formulação e disseminação de conteúdo de alta qualidade sobre o cenário internacional e o papel do Brasil. Conectado à agenda internacional, o CEBRI identifica e analisa as mais relevantes questões internacionais, promovendo o engajamento entre a produção de conhecimento e a ação política. Ao longo de vinte anos de história, já realizou cerca de 500 eventos, produziu mais de 200 publicações e atua com uma rede internacional de mais de 100 entidades de alto nível em todos os continentes. A instituição se destaca por seu acervo intelectual, pela capacidade de congregar múltiplas visões de renomados especialistas e pela envergadura de seu Conselho Curador.

Crédito: Paulo Mumia/Alex Ferro