Revista Poder

Robert F. Kennedy Jr. abandona partido Democrata e anuncia candidatura independente em 2024 

Reprodução Instagram @robertfkennedyjr

Robert Francis Kennedy Junior anunciou na segunda-feira, dia 9, que estava encerrando seu desafio à nomeação do Partido Democrata para concorrer em 2024 como independente, deixando também o partido.

Durante um discurso na Filadélfia, Pensilvânia, RFK Jr. declarou sua “independência” em relação aos dois principais partidos políticos e denunciou os interesses corruptos que, segundo ele, os dominam. Ele criticou ainda um sistema que descreveu como repleto de raiva, corrupção e mentiras, transformando funcionários do governo em servos das corporações.

Kennedy havia lançado seu desafio a Biden em abril, acusando o Partido Democrata de alterar suas regras para favorecer o titular e reclamando que Biden não lhe concederia proteção do Serviço Secreto. Vale mencionar que seu pai, o senador Robert F. Kennedy, foi assassinado em 1968 durante sua candidatura presidencial, e seu tio, o presidente John F. Kennedy, foi assassinado em 1963.

RFK Jr. descreveu os Estados Unidos como um país onde a raiva fervilha, com os cidadãos se sentindo abandonados, enganados e menosprezados por uma elite arrogante que manipulou o sistema em seu favor. Ele argumentou que, em vez de dois partidos, os EUA têm um sistema bipartidário disfuncional que está levando o país à destruição.

A decisão de deixar o Partido Democrata foi dolorosa para Kennedy, dado o legado político de sua família na construção do partido. No entanto, ele comparou essa decisão ao risco que os fundadores dos Estados Unidos correram quando se rebelaram contra a coroa britânica em 1776.

É importante notar que quatro dos irmãos de RFK Jr. repudiaram sua decisão, considerando-a “profundamente triste” e “perigosa para o nosso país”. O diretor de Hollywood, Rob Reiner, também denunciou Kennedy, afirmando que sua candidatura independente era uma manobra dos republicanos ricos para trazer de volta o ex-presidente Donald Trump à Casa Branca. Reiner alertou sobre o impacto potencialmente destrutivo dessa decisão para a democracia americana.

Uma pesquisa do Rasmussen Reports realizada em setembro mostrou que 25% dos democratas apoiariam Kennedy nas primárias, enquanto 33% o escolheriam como independente. É importante ressaltar que historicamente nenhum candidato de um terceiro partido conquistou a presidência dos Estados Unidos. Um exemplo disso foi Theodore Roosevelt em 1912, que concorreu como progressista, possibilitando a vitória esmagadora de Woodrow Wilson no colégio eleitoral e tornando-o o primeiro democrata a assumir a presidência desde 1860.

 

 

 

 

 

 

Sair da versão mobile