Revista Poder

Geraldo Alckmin apresenta planos de assistência em Manaus para combater os impactos da grave seca

Geraldo Alckmin || Crédito: Cadu Gomes / VPR

O vice-presidente, Geraldo Alckmin, revelou um conjunto de medidas emergenciais para ajudar a população do Amazonas, que está enfrentando os impactos da seca extrema nos rios Solimões e Madeira.

Devido à baixa vazão dos rios, aproximadamente 200 mil habitantes da Amazônia estão enfrentando dificuldades para obter água potável e alimentos, com a possibilidade de esse número chegar a 500 mil nos próximos meses.

Alckmin anunciou a antecipação do pagamento do Bolsa Família e do Benefício de Prestação Continuada (BPC) para os municípios em situação de emergência, programando a data para 19 de outubro. Também destacou o pagamento integral do seguro para agricultores do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf) que sofreram perdas na produção.

O anúncio foi feito em Manaus (AM) durante a visita de uma comitiva ministerial do governo federal, que inspecionou áreas afetadas pela seca e realizou reuniões com autoridades locais, incluindo prefeitos, parlamentares e o governador Wilson Lima.

Entre as iniciativas do governo federal estão duas obras de dragagem nos rios Solimões e Madeira para restaurar a navegabilidade. A primeira obra terá 8 quilômetros de extensão e custará R$ 38 milhões, com duração de 30 dias, enquanto a segunda terá 12 quilômetros de extensão, custando R$ 100 milhões e com duração de 45 dias.

Alckmin também mencionou que o ministro André de Paula, da Pesca, e a ministra Marina Silva, do Meio Ambiente, estão trabalhando para antecipar o seguro defeso em 2 meses, beneficiando os pescadores. Além disso, 540 profissionais do programa Mais Médicos serão enviados para o Amazonas, somando-se aos 240 já atuantes em Manaus (AM).

Amazônia enfrenta seca sem precedentes

Sair da versão mobile