Revista Poder

Aprovado na CAE, o projeto do Desenrola Brasil avança para o Plenário

Rodrigo Cunha || Crédito: Pedro França/Agência Senado

A votação do projeto está agendada para a próxima segunda-feira, conforme anunciado por Pacheco.”

A Comissão de Assuntos Econômicos do Senado aprovou de forma unânime o Projeto de Lei (PL) 2.685/2022, que cria o Programa Emergencial de Reestruturação de Dívidas de Indivíduos Inadimplentes, conhecido como “Desenrola Brasil.”

O projeto estabelece diretrizes para facilitar o acesso a crédito, reduzir o risco de inadimplência e superendividamento, bem como tratar da renegociação de dívidas e limitar as taxas de juros para pagamentos rotativos de cartões de crédito.

O texto seguirá para votação em caráter emergencial no plenário do Senado, com a expectativa de votação na segunda-feira, visto que a medida provisória que criou o programa perderá a validade na terça-feira.

O senador Rodrigo Cunha, relator do projeto na CAE, destacou que a inadimplência afeta não apenas indivíduos, mas também empresas, uma vez que a falta de crédito reduz o consumo.

O senador Jaques Wagner ressaltou que muitas das dívidas dos brasileiros inadimplentes são relacionadas a serviços essenciais, como luz e água. O programa Desenrola Brasil tem validade até 31 de dezembro do mesmo ano e espera beneficiar até 70 milhões de pessoas.

O programa possui duas faixas de público-alvo. A Faixa 1 é destinada a indivíduos com renda mensal de até dois salários mínimos ou inscritos no Cadastro Único para Programas Sociais do Governo Federal, com dívidas de até R$ 5 mil até 31 de dezembro de 2022. A Faixa 2 engloba pessoas com dívidas de até R$ 20 mil.

Para participar, devedores devem pagar suas dívidas por meio de uma nova operação de crédito, enquanto os credores devem oferecer descontos e remover dívidas dos cadastros de inadimplentes.

A segunda etapa do programa, destinada à Faixa 1, visa beneficiar até 32,5 milhões de consumidores com dívidas de até R$ 5 mil, podendo chegar a R$ 20 mil se necessário. Empresas que ofereçam os maiores descontos receberão suporte do Fundo de Garantia de Operações para cobrir possíveis inadimplências, permitindo descontos mais significativos nas renegociações.

Sair da versão mobile