Revista Poder

Arqueológos descobrem quatro espadas romanas de 1.900 anos em uma caverna em Israel

A rara coleção de armas foi encontrada na Reserva Natural de En Gedi, preservada em bainhas de madeira e couro, de acordo com um comunicado de imprensa da Autoridade de Antiguidades de Israel publicado na quarta-feira.

“Encontrar uma única espada já é raro, então quatro? É um sonho! Mal podíamos acreditar”, disseram os pesquisadores.

As armas provavelmente foram saqueadas da legião romana pelos rebeldes judeus, de acordo com os autores de um artigo de pesquisa publicado na quarta-feira no livro “Novos Estudos na Arqueologia do Deserto da Judeia: Artigos Coletados”.
A primeira evidência – o pilum e pedaços de madeira trabalhada que se revelaram bainhas – foi encontrada por acaso em uma caverna isolada e inacessível nas falésias por arqueólogos que estudavam uma inscrição de tinta fragmentada em uma estalactite.

Uma investigação adicional revelou quatro espadas “em uma fenda quase inacessível no nível superior da caverna”, afirma o comunicado.
As espadas “excepcionalmente bem preservadas” foram encontradas ao lado de pedaços de couro, madeira e metal. Três das espadas tinham lâminas de ferro dentro de bainhas de madeira e mediam de 60 a 65 centímetros de comprimento. A quarta tinha 45 centímetros de comprimento.

“O fato de as espadas e o pilum estarem escondidos em fendas profundas na caverna isolada ao norte de ‘En Gedi sugere que as armas foram saqueadas de soldados romanos ou do campo de batalha e intencionalmente escondidas pelos rebeldes judeus para reutilização”, disse Eitan Klein, um dos diretores do Projeto de Pesquisa do Deserto da Judeia.

Obviamente, os rebeldes não queriam ser pegos pelas autoridades romanas carregando essas armas. Estamos apenas começando a pesquisa sobre a caverna e o depósito de armas descoberto nela, com o objetivo de descobrir quem eram os proprietários das espadas e onde, quando e por quem foram fabricadas”, acrescentou ele.
Escavações adicionais revelaram uma moeda de bronze “Bar Kokhba” datada de 132-135 EC, possivelmente relacionada às espadas, de acordo com o comunicado de imprensa. Nesse período, a Revolta de Bar Kokhba, também conhecida como a Segunda Revolta Judaica, viu os judeus se rebelarem contra o domínio romano na região.

“Eli Escusido, diretor da Autoridade de Antiguidades de Israel, expressou a importância dessa descoberta, afirmando: “Esta é uma descoberta dramática e empolgante, tocando um momento específico no tempo. Nem todos sabem que as condições climáticas secas no Deserto da Judeia permitem a preservação de artefatos que não sobrevivem em outras partes do país.” Esta é uma cápsula do tempo única, onde fragmentos de pergaminhos, moedas da Revolta Judaica, sandálias de couro e agora até espadas em suas bainhas estão tão afiadas como se tivessem sido escondidas hoje mesmo.”

 

Sair da versão mobile