Revista Poder

Em Belém, Blair usa “terceira via” para fazer média com G7 e países em desenvolvimento

Tony Blair || Crédito: Reprodução/Twitter/@helderbarbalho

O ex-primeiro ministro britânico Tony Blair é a grande atração desta quinta (31) da Conferência Amazônia e Novas Economias, evento organizado em Belém (PA) pelo Instituto Brasileiro de Mineração.

O homem que um dia foi visto como a incorporação da “terceira via” para logo cair nos braços de George Bush Filho e suas papagaiadas iraquianas, tentou se equilibrar entre uma visão positiva do mundo dito “em desenvolvimento” e o G7. Os países ricos deste último grupo, na sua opinião, estão levando efetivamente a cabo um programa de descarbonização, temário principal de sua fala.

Blair prevê que em 2030 o “Ocidente” desenvolvido contribuirá com apenas 20% das emissões globais.

Mas ele não acha que os países que ora emitem para se desenvolver devem ser coibidos de fazê-lo.

“Nós temos que continuar a possibilidade de desenvolvimento. Então toda a questão é como fazer isso [de maneira] sustentável. (…). O equilíbrio entre segurança energética, e proteção do clima.”

A Conferência, que ocorre na mesma Belém que há menos de um mês sediou a Cúpula da Amazônia, foi aberta na noite de quarta (30) pelo ex-secretário geral da ONU, Ban Ki-moon.

“Nosso planeta está em chamas (…) Ninguém vive numa ilha e esses eventos [climáticos] deixaram claro que precisamos de soluções colaborativas para enfrentar os problemas que agora enfrentamos. Tais soluções precisam estar centradas no aprimoramento da sustentabilidade, da saúde e da segurança para todas as pessoas em todos os lugares”, disse o sul-coreano, conforme registrou o site do Instituto Brasileiro de Mineração, que organiza o evento.

Sair da versão mobile