Revista Poder

Camilo Santana

Camilo Santana || Crédito: Beto Barata/PR

Apesar de ter prometido espaço em seu ministério para partidos para além do campo da centro-esquerda, Lula vem divulgando os nomes de primeiro escalão com predominância das siglas de seu núcleo duro – PT e PSB. E embora o presidente eleito não tenha feito uma declaração oficial comunicando de seu escolhido para o ministério da Educação, portais de notícias e meios de comunicação revelaram nesta terça (20) que o ex-governador do Ceará, Camilo Santana (PT), é o cara.

Conciliador, Camilo conseguiu sustentar a aliança PT-PDT no Ceará até os 46 do segundo tempo, quando o presidenciável Ciro Gomes dinamitou o acordo e indicou, em 2022, um candidato a governador, Roberto Cláudio, ex-prefeito de Fortaleza, nome fora do acerto prévio.

Camilo, que havia sido governador por dois mandatos e se elegeu em 2022 senador pelo Ceará, então apoiou o candidato que o PT lançou na última hora, Elmano de Freitas, que se elegeu governador para desespero de Ciro.

O Ceará coleciona excelentes indicadores na área de educação básica, e por isso outro nome do estado, o da atual governadora, Izolda Cela, estava entre o dos ministeriáveis. Izolda iniciou a revolução da educação cearense em Sobral, justamente a cidade do clã Gomes.

Izolda também deve entrar para o governo federal, assumindo a secretaria do Ensino Básico do ministério da Educação.

Veja aqui a entrevista de capa que Camilo Santana concedeu à revista PODER em 2019, alguns meses depois de ter sido reeleito com o maior apoio proporcional entre os governadores que buscavam à reeleição no pleito de 2018.

 

 

Sair da versão mobile