Revista Poder

Simone Tebet

Simone Tebet || Crédito: Waldemir Barreto/Agência Senado

A ideia de parte do partido que não via viabilidade eleitoral na candidatura presidencial era aproveitar-se de uma filigrana jurídica para adiar a convenção do MDB, que acabou sendo realizada, virtualmente, nesta quarta (27). E o resultado foi a aclamação do nome da senadora Simone Tebet. Ela será a candidata presidencial da federação MDB-PSDB-Cidadania, rara candidata mulher na disputa.

Nos últimos dez dias, a ala lulista do MDB, capitaneada pelo senador Renan Calheiros, chegou a ameaçar judicializar a convenção, o que acabou não ocorrendo.

Simone mostrou que tem alguma força no velho MDB – que mesmo uma baixa votação em 2 de outubro pode preservar –, assim como o presidente do partido, o deputado federal Baleia Rossi, que tomou uma surra quando disputou com Arthur Lira a presidência da Câmara em 2021.

Rossi manteve-se firme na postura tebetista mesmo ouvindo as considerações do correligionário Michel Temer. O ex-presidente teria sido procurado por emissários de Lula para tentar amarrar um apoio à candidatura petista já no primeiro turno.

Nesta quarta-feira (27), Baleia tuitou: “Meu amigo e conselheiro Michel Temer registrou sua participação na Convenção Nacional e declarou apoio à Simone Tebet presidente.”

Sair da versão mobile