Revista Poder

Donald Trump

Donald Trump || Créditos: Isac Nóbrega/PR

A reversão do entendimento que tornava legal o aborto nos Estados Unidos, prática que agora passará a ser decidida pelos entes subnacionais, tem, em última análise, a mão de Donald Trump.

O ex-presidente dos Estados Unidos teve a proeza de indicar três novos ministros para o STF, que nos Estados Unidos é composto por nove membros. Os três terrivelmente conservadores, algo como três André Mendonça de uma só tacada.

De toda forma, segundo o The New York Times, Donald Trump estaria preocupado com a repercussão que a decisão do Supremo poderá ter na eleições para o Congresso de novembro.

Trump, segundo o NYT, acredita que a decisão pode vir a irritar a “mulher suburbana”, o que teria o condão de favorecer os democratas nas eleições do “midterm”.

Perguntado sobre a decisão desta sexta (24) pela Fox News, o canal de TV de corte ultraconservador que o apoiou sistematicamente, Donald Trump disse: “Deus tomou a decisão”. “A decisão segue a Constituição e devolve direitos que há muito tempo deveriam ter sido devolvidos”, completou.

Sair da versão mobile