Revista Poder

Doria fala novamente em unificar terceira via, mas não menciona renúncia

João Doria, Moro e Simone Tebet || Crédito: GOV-SP/isaac Amorim/MJSP/Moreira Mariz/Agência Senado

Enquanto o fogo interno do PSDB aumenta consideravelmente, com o senador José Aníbal (SP) de novo a fazer acenos à candidata Simone Tebet (MDB-MS), João Doria voltou a mencionar a “candidatura única” da terceira via.

Neste domingo (30), em encontro virtual promovido pelo grupo Parlatório, formado por empresários e profissionais liberais, e que contou também com os ex-presidentes Michel Temer e FHC, o governador paulista falou que presidenciáveis como Sergio Moro (Podemos) e os senadores Rodrigo Pacheco (PSD), Alessandro Vieira (Cidadania) e a própria Simone Tebet terão de ter “competência, paciência, discernimento e humildade para construir essa opção fortalecida, se possível com uma única candidatura.”

O governador não disse que abriria mão da própria candidatura, o que parece de fato pouco provável, apesar de seus índices de rejeição em nível “Jair Bolsonaro”, como mostrou recentemente pesquisa do PoderData.

Doria voltou a desfilar seu compromisso com o temário liberal, de “respeito ao teto de gastos”, desestatização e todas essas coisas que empresários gostam de ouvir, mas também citou “combate à pobreza” e mostrou preocupação com a saúde pública e a crise sanitária interminável da Covid-19.

O encontro teve pouca audiência, pouco mais de 300 pessoas, não muito mais do que os integrantes do grupo.

Sair da versão mobile