Revista Poder

Joice Hasselmann

Crédito: Reprodução/Instagram

Caçapa cantada há tempos, a deputada federal Joice Hasselmann (SP) oficializou nesta quinta (7) a saída do PSL e seu ingresso no PSDB. O anúncio acontece exatamente um dia após o evento que celebrou a fusão do PSL com o DEM, que vai gerar o novo União Brasil, caso não haja óbice do Tribunal Superior Eleitoral.

De líder do PSL na Câmara em 2019, partido então integralmente bolsonarista, Joice foi se descolando do Planalto ainda em seu primeiro ano de mandato. Tornou-se, com esse movimento, uma das parlamentares mais atacadas pela milícia digital bolsonarista, que passou a chamá-la de Peppa Pig. Joice apoia o impeachment do presidente.

Embora tenha sido a deputada mais votada nas eleições de 2018, com mais de 1 milhão de votos, ela fracassou fragorosamente nas urnas em 2020, ao tentar eleger-se prefeita de São Paulo.

O PSDB foi lacônico ao comentar a chegada da deputada, publicando um post isolado em sua conta no Instagram com foto da parlamentar e o texto “Seja bem-vinda ao PSDB, deputada Joice Hasselmann”.

Nem todo mundo no partido gostou. Tomás Covas, filho adolescente do ex-prefeito de São Paulo Bruno Covas, recentemente filiado ao PSDB, comentou na mesma postagem, em maiúsculas: vergonha.

Joice segue o movimento do colega Alexandre Frota (PSDB-SP), ambos eleitos deputados pelo PSL com a força das redes sociais e da conversa fiada da antipolítica.

Antipolítca, sabe Deus como, mobilizada por Bolsonaro.

Sair da versão mobile