Revista Poder

Ministros do STF e parlamentares se manifestam no Twitter

Autoridades usaram as redes sociais nesta terça (7) para evocar o dia da Independência. Inimiga número 1 do presidente que ajudou a eleger, a deputada Joice Hasselmann (PSL-SP) disse que “o dia foi sequestrado por Bolsonaro e seus asseclas”. “Jair Bolsonaro tritura a Constituição e conspira 24 horas para o  caos”, seguiu. Joice chamou o presidente de “insano” e disse que ele é capaz de tudo. “Precisa ser LITERALMENTE detido”.

 

Num tom mais politizado, o senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP) afirmou que “o verdadeiro patriota se compadece de seus compatriotas. Se compadece quando seu compatriota sente fome, adoece. O povo brasileiro é DIVERSIDADE, e não desunião. Apesar deles, amanhã há de ser outro dia! #7desetembro”.

Integrantes do Judiciário, que temiam retaliação popular e ganharam segurança extraordinária durante o 7 de setembro, usaram um tom mais ameno, mas também não deixaram de fazer críticas ao governo.

O ministro Luís Roberto Barroso, presidente do TSE, usou o Twitter para passar recado sobre o voto impresso auditável, bandeira governista derrotada pelo Congresso e pela própria Justiça Eleitoral, dizendo que a vontade do povo deve ser respeitada, “sem volta ao passado”.

“Brasil, uma paixão. Brancos, negros e indígenas. Civis e militares. Liberais, conservadores e progressistas. Desde 88, a vontade do povo: Collor, FHC, Lula, Dilma e Bolsonaro. Eleições livres, limpas e seguras. O amor ao Brasil e à democracia nos une. Sem volta ao passado”, escreveu Barroso.

O ministro do STF Alexandre de Moraes, um dos nomes mais criticados por apoiadores do presidente em cartazes nas manifestações, escreveu que “nesse Sete de Setembro comemoramos nossa Independência, que garantiu nossa Liberdade e que somente se fortalece com absoluto respeito a Democracia”.

Também em cima do muro, ainda via Twitter, o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco, disse: “aAo tempo em que se celebra o Dia da Independência, expressão forte da liberdade nacional, não deixemos de compreender a nossa mais evidente dependência de algo que deve unir o Brasil: a absoluta defesa do Estado Democrático de Direito”

https://twitter.com/rpsenador/status/1435223513414176769

Sair da versão mobile