Revista Poder

Gucci publica primeiro relatório de impacto socioambiental e resultado surpreende

A cada temporada a moda se reprograma para encarar o futuro de forma responsável. A Gucci, por exemplo, publicou seu primeiro relatório de impacto socioambiental e os resultados mostram que a meta foi superada quatro anos antes do previsto.

Das metas estabelecidas para até 2025, a Gucci se superou atingindo 44% de redução dos impactos ambientais totais e 47% de redução nas emissões de gases de efeito estufa.

“O Relatório de Impacto Equilibrium da Gucci ilustra nossas ações e compromissos de sermos inclusivos, sustentáveis e responsáveis em tudo o que fazemos. Superamos nossa meta de reduzir nossa ‘pegada’ total quatro anos antes, uma conquista que ressalta nosso compromisso com a mudança transformadora. É nossa missão fazer parte da solução para um amanhã melhor e continuaremos a construir um valor autêntico em nossos negócios e no mundo em geral – valor para as pessoas, para o clima e para a natureza”, comemorou Marco Bizzarri, presidente e CEO da Gucci.

Dividido entre dois pilares, ‘Pessoas e Planeta’, o Relatório de Impacto Equilibrium da marca destaca iniciativas que estão traduzindo sua visão estratégica, entre elas:

Pessoas

– Best Workplace 2020 na Itália pelo segundo ano consecutivo

– Estabeleceu o Conselho de Equidade Global para integrar e reforçar ainda mais a diversidade, a equidade e a inclusão

– 57,4% de mulheres membros da diretoria globalmente e avaliada como 98/100 no Índice de Paridade de Gênero de 2020 na França

– Mais de US$ 17,5 milhões arrecadados para apoiar projetos de igualdade de gênero e defesa por meio do Chime for Change, financiando 442 projetos em 89 países e impactando diretamente 28.379 mulheres e meninas em 2020

– Recebeu o prêmio “Welcome. Working for Refugee Integration” da ONU pelo segundo ano consecutivo

– Mais de € 2,5 milhões doados para apoiar iniciativas contra a Covid-19, incluindo a promoção do acesso equitativo às vacinas em todo o mundo

– Estabeleceu programa com o Banca Intesa Sanpaolo para apoiar os fornecedores de moda da Itália durante a pandemia, proporcionando acesso rápido a empréstimos com condições favoráveis, totalizando mais de € 200 milhões em 31 de dezembro de 2020

– Lançou o Changemakers Fund de US$ 5 milhões para promover o bem social e a justiça racial em diversas comunidades na América do Norte e um programa de bolsa de estudos de US$ 1,5 milhão para apoiar jovens talentos na indústria da moda

– Criou a Gucci École de l’Amour para transmitir habilidades de artesanato de luxo, com 526 alunos artesãos matriculados desde 2018

Planeta

– A análise de EP&L de 2020 mostrou uma redução de 44% na pegada ambiental total da Gucci e uma redução de 47% em suas emissões de gases de efeito estufa em suas operações diretas e em toda a cadeia de abastecimento desde 2015

– Carbono neutro nos escopos 1, 2 e 3 do Greenhouse Gas Protocol desde 2018

– 93% do consumo de energia renovável em todo o mundo (lojas, escritórios, depósitos, fábricas) em 2020, com uma meta de 100% até 2022

– 95% de rastreabilidade dos materiais

– Explorou modelos de negócios circulares e criou a primeira coleção circular “Gucci Off The Grid”

– Lançou nova embalagem ecológica para lojas e online

– Recebeu a certificação de sustentabilidade ISO 20121 para eventos, incluindo desfiles de moda

– Investiu na proteção e restauração de mais de 1,9 milhão de hectares de florestas, manguezais e biodiversidade

– Introduzido o Natural Climate Solutions Portfolio da Gucci, incluindo investimentos em agricultura regenerativa

– Associou-se ao The Lion’s Share Fund para proteger a vida selvagem e habitats ameaçados.

Sair da versão mobile