Revista Poder

Artista e designer Hugo França inaugura galeria em Trancoso e abre exposição de obras inéditas

Galeria Hugo França em Trancoso // Divulgação

Um espaço em meio à Mata Atlântica para viver, respirar e inspirar arte. Esse é o mote da Galeria Hugo França, que abre suas portas nesta semana em Trancoso. Criada para receber exposições contemporâneas e de design, terá sua inauguração marcada pela mostra A escultura e o mobiliário na produção de Hugo França, em que dezenas de obras do artista – e proprietário do espaço – dialogam e refletem, sempre com a natureza viva como elo principal.

“Mais do que um local de exposição, idealizei a galeria como um convite para uma experiência de arte. De um lado, as obras, de outro, a natureza que tanto me inspira. Também é possível fazer uma visita ao meu atelier e acompanhar parte do processo de criação, além de conhecer o local onde ficam as madeiras com as quais trabalho, verdadeiras relíquias que resgatamos com muito respeito e cuidado”, explica Hugo, que viveu mais de uma década em Trancoso e mantém uma de suas oficinas lá.

Desde o final dos anos 1980, o artista desenvolve suas famosas “esculturas mobiliárias” a partir de resíduos florestais e urbanos – árvores condenadas naturalmente, por ação do tempo ou pela ação do homem. Aliás, tudo começa e termina na árvore. Ela é a inspiração de França… suas formas, buracos, rachaduras, marcas de queimada, com intervenção mínima que resulta em peças únicas, bem orgânicas, sua marca registrada.

A Galeria Hugo França começou a sair do papel no último ano, quando a ponte aérea São Paulo-Trancoso deixou de ser parte da rotina por causa da pandemia e levou o artista a voltar a morar no destino baiano. Instalada a 10 km do badalado Quadrado, em uma área de 50 mil metros quadrados, dos quais 20 mil são de pura Mata Atlântica, fica exatamente no entroncamento Trancoso/Caraíva/Porto Seguro.

O projeto, concebido por França, tem pé direito de 9 metros e 300 metros quadrados, com grandes vãos abertos, onde luz, ventilação e natureza interagem. Isso sem falar da área externa, totalmente integrada com a vegetação nativa. Ou seja, a partir de agora, os amantes de arte e design que forem ao sul da Bahia, precisam incluir a Galeria Hugo França em seus itinerários.

 

 

Sair da versão mobile