Revista Poder

Narendra Modi

Narendra Modi || Crédito: Reprodução

No budismo, a humildade e a compaixão são valores fundamentais, mas no hinduísmo a coisa parece ser um pouco diferente. Ao menos é o que se depreende do discurso que o primeiro-ministro indiano Narendra Modi concedeu hoje, virtualmente, à audiência do Fórum Econômico Mundial.

O ultranacionalista, que leva aos limites da violência a campanha pelos valores pátrios, fez uma esperada defesa do ambiente de negócios indiano, mas não se furtou a valorizar o próprio país como player no combate à pandemia global.

“A Índia está salvando vidas de pessoas de muitos países enviando vacinas e desenvolvendo a infraestrutura necessária para a vacinação”, disse. “Quando o espaço aéreo estava fechado em muitos países, a Índia levou 100 mil cidadãos e distribuiu medicação para mais de 150 países.”

“Hoje a Índia faz parte dos que puderam salvar a vida de um máximo de pessoas. E não se pode comparar o sucesso de [um país com] 18% da população do mundo, que não só se ocupou de sua população como também ajudou outros países exportando equipamentos de proteção e máscaras.”

Sair da versão mobile